Carregando Conteúdo
x

Dicas e Ideias

3.1. PENSAMENTO CRIATIVO E PENSAMENTO REPETITIVO

galpenscriat13.jpg

"Penso 99 vezes e nada descubro.

"Deixo de pensar, mergulho no silêncio, e a verdade me é revelada".

Einstein

VER MELHOR

Todo olho tem um "ponto cego", portanto cada um de nós tem uma das quatro funções dos captadores do TODO (pensamento, sentimento, percepção e intuição) menos ativada. Precisamos saber qual delas é menos desenvolvida, para saber onde estamos deixando vazar energia.

O terapeuta sistêmico ajuda o cliente a se VER MELHOR.
Uma de suas funções é de negociador e diplomata.
É importante mostrar ao cliente o seu ponto cego, mas também ajudá-lo a se abrir para melhores negociações com a vida.
Já a "função" do cliente é resistir em enxergar seu ponto cego e tentar provar que não tem responsabilidade sobre aquilo, além de achar que a culpa é do outro.

COMO ENXERGAR O PONTO CEGO?

  • Fazendo pausas, rupturas. A pausa nos tira do repetitivo e nos capacita a ver melhor.
  • A pausa nos tira da morbidez, do apego, da inércia.

Quando o cliente busca a terapia, ele geralmente chega com algo repetitivo, algo mórbido e apegado que é o seu SINTOMA.

Assim, o terapeuta sistêmico entende que aí tem um mal maior escondido, que é um ponto cego para o cliente.

O terapeuta precisa criar uma pausa nesse PENSAMENTO DESARTICULADO do cliente e mudar a direção da "prosa" (dar uma volta de 180º).

O terapeuta introduz o novo, o inédito, o inusitado, usando metáforas, analogias, imagens, exercícios, fotos e tantos outros recursos, como forma de ajudar o cliente a fazer uma pausa em seus pensamentos padronizados, repetitivos e sem saída.

E, assim, introduz uma nova forma de ver a situação.

PENSAMENTO CRIATIVO

"Definir é matar, sugerir é criar."

Mallarmé

  • O pensamento do terapeuta sistêmico deverá ser um pensamento CRIATIVO: sentindo, pensando, percebendo e intuindo.
  • Não criamos o novo, mas criamos condições para que o novo surja, através da pausa, da respiração, da inspiração.
  • Uso da respiração: é fazer contato com o corpo. Tudo o que está vivo respira.
  • Uso da inspiração: é fazer contato com a alma.

PENSAMENTO REPETITIVO

"Nascemos originais e nos tornamos cópias."

  • Nós não nos identificamos com o nosso corpo. Nós nos identificamos com o nosso pensamento. Assim, usamos mais o pensamento e ficamos "pobres", dissociados, iludidos.
  • Desde os tempos de Newton, Descartes e depois com a revolução industrial, o homem vem ficando cada mais vez mais deslumbrado com o pensamento mecanizado. Isso porque o pensamento mecanizado, linear é mais econômico e rápido, levando-nos à inércia e à padronização. Quanto mais intelectualizada for uma pessoa, mais "preguiçosa" no aspecto físico, ela é.
  • Pensamento desarticulado é apegado, vê sempre do mesmo jeito (ponto cego). Ele não acompanha o momento, não é ao vivo e em cores. É igual macaco. Pula de galho em galho, pra frente, pra trás.
  • O corpo é que nos dá presença, de estar onde devemos estar. E o centro da presença é a respiração.
  • Pensamento repetitivo é ladrão de alegria. Contrai a respiração, vem angústia. Observação: o ponto da angústia pela Medicina Tradicional Chinesa, localiza-se na altura do osso esterno.
  • Achamos que somos o que pensamos. Isso não é verdade, porque pensamos de forma repetida, como a nossa família, a nossa cultura (valores, regras). Temos padrões de funcionamento pensados pelo nosso contexto familiar, social, etc. É repetição, é inércia, é pensamento desarticulado. Não é criativo.
  • Pensamento não quer saber do REAL, embora uma das funções dele seja facilitar o contato com o TODO, o REAL. Pensamento quer saber de ILUSÃO, de parte. Ex: a gula não vem do corpo, vem do pensamento. Ou seja, o corpo nos dá noção do REAL e o pensamento pode nos levar para a ILUSÃO.

QUAL O LUGAR DO PENSAMENTO?

O lugar do pensamento em nossa vida é ao lado do sentimento, da percepção e da intuição e não ao centro como tendemos colocá-lo.

Tudo tem um poder e uma função útil quando está no seu lugar.

Nós, terapeutas, precisamos tomar cuidado para não colocarmos o pensamento no centro, porque senão vira "psicologismo".

Entendemos muito, explicamos muito, mas não criamos nada.

"A verdadeira criatividade é criar uma resposta em alguém."

Ernest Dichter

Texto elaborado por:
Jaqueline Cássia de Oliveira
Psicóloga e Psicoterapeuta Sistêmica
Conheça mais sobre os temas:
Tipos de pensar (Sistêmico e Complexo)
Formas de pensar e de atuar como terapeuta sistêmico complexo.
No material didático - ATUAÇÃO DO TERAPEUTA
Mais informações sobre conteúdo, clique na imagem abaixo:

produto-teste_2015-08-14_14-06-43_0.jpg