Carregando Conteúdo
x

Dicas e Ideias

3.0 - QUAL IDADE VOCÊ TEM?

dff20cdea813972d655249c7cc873b8e.jpg

"Afirmo ao senhor, do que vivi:
o mais difícil não é um ser bom e proceder honesto;
dificultoso, mesmo, é um saber definido o que quer,
e ter o poder de ir até no rabo da palavra." (J.G.Rosa)
  • 1ª. IDADE – CRONOLÓGICA: medida a partir da sua data de nascimento.
  • 2ª. IDADE – FISIOLÓGICA: é o grau de cuidado que você tem com a sua saúde. É aquela idade que o seu organismo responde por ela.
  • 3ª. IDADE – IMAGINÁRIA: é aquela em que você ficou desconectado com o Real. Quando você fica frustrado (briga com o Real) é para lá que você volta. Pode coincidir com a idade que você sofreu uma frustração e não tolerou.
  • 4ª. IDADE – A ESCOLHIDA: é a idade que eu escolho estar. Pessoas de 40 podem escolher a idade de 70 anos ou uma pessoa com a idade cronológica de 70 anos pode escolher estar funcionando com a idade de 40. Inevitavelmente a partir dos 40 anos, você vai precisar escolher a sua melhor idade! A base de referência de escolha desta idade é o que você quer da sua vida.

SOBRE A IDADE DOS NOSSOS PAIS

  • Ver a idade imaginária dos seus pais. Onde será que os seus pais empacaram (pararam)?
  • NA IDADE EM QUE UM PAI EMPACAR, É PROVÁVEL QUE SEUS FILHOS TAMBÉM EMPAQUEM.
  • Caso tenha acontecido uma parada, onde foi que você parou?
  • Você parou na impotência ou na prepotência?
  • Como "bebê ou babá"?
  • Dependente ou co-dependente?
  • Adulto ou adulterado?

DAI A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR!

CRIANÇA

  • É crente.
  • É cópia (muitas vezes cópia de cópias...)
  • É apegada (objeto transacional).
  • Ainda não construiu um valor interno.
  • Se sente solitário.
  • É mimada e não gosta de ser contrariada.
  • Precisa de muita atenção.
  • É primitivo – Tem precisão e necessidade (do outro, de coisas, do externo).
  • "Comandada" pelos instintos, emoções e imaginário.

ADOLESCENTE

  • É descrente e do contra.
  • Busca valores diferentes do familiar.
  • Deseja ser diferente, mas sendo igual a outro grupo.
  • Questiona as crenças familiares, religiosas, políticas, mas ainda continua fazendo cópias.
  • É desatento e desesperado.
  • Emoções à flor da pele, que é uma espécie de rascunho de sentimentos verdadeiros.
  • E muito imaginário que é uma espécie de rascunho de pensamento articulado.

ADULTO

  • Tem um valor interno próprio (diferente de crenças)
  • Tornou-se SUJEITO - é o agente da ação e ocupa o seu espaço no seu tempo.
  • Não baixa demais no nível da negociação.
  • Pode até chegar a certo apego, mas temporariamente.

ADULTERADO

  • Indivíduo sem CONSTRUÇÃO INTERNA, sem valor interno e portanto preso ao outro.
  • A característica evidente deste tipo de pessoa é o narcisismo (vaidade e inveja): impossibilidade de integração entre o ego dele e o ego do outro.

DOIS TIPOS DE ADULTERADOS:

  1. Existe aquele que passa por cima do outro e busca a atenção de forma infantil. Brinca de herói e salvador. É prepotente.
  2. E existe aquele que passa por cima de si mesmo e se apega ao outro. É dependente, vítima, impotente.

Exemplos:

  • Alcoólatras e usuários de qualquer droga (lícita ou ilícita); perda da consciência, deixando a vida nas mãos do outro. É uma espécie de escravidão (aprisionamento da alma).
  • Dr. Eduardo Kalina fala a respeito de escravidão: compreendi que a adicção às drogas é uma forma de escravidão....A droga é um fenômeno de submissão...
  • Os obesos, anoréxicos, bulímicos estão no presos na expectativa do outro, no reconhecimento do outro.
  • As vítimas e os heróis: culpar ou salvar o outro.
  • Psicopatas/perversos: que precisa da vítima apegada a ela e a vítima que precisa da força do seu algoz.
  • Psicóticos: paralisados na busca do reconhecimento do outro.
  • Intelectuais, work a holics – não dão atenção a si mesmos e transforma tudo em pensamento ou em coisas/dinheiro – busca a confirmação do outro através do ter e fazer.

SOBRE APEGO:

  • O ser humano nasce mergulhado no imaginário e nasce APEGADO. A questão complicada é que apego gera acomodação, que gera mais imaginário e mais faz-de-conta.

SOBRE BEBÊ E BABÁ:

  • Ajudar = valor
  • Salvar = apego/ vício (dependência e co-dependência).
  • Quando sou apegada a uma pessoa eu não valorizo a pessoa. Eu me apego na minha atitude em relação a ela (de salvá-la, de cuidar dela, etc).
  • Valor = querer seu bem
  • Apego = querer bem (gosto de você para mim!).
  • O APEGO É FILHO DA CRENÇA ARRAIGADA
NEM TODO MUNDO TEM VALOR.
MAS TODO MUNDO TEM CRENÇA!

"O senhor deve de ficar prevenido:
esse povo diverte por demais com baboseira,
dum traque de jumento formam tufão de ventania. Por gosto de rebuliço.
Querem-porque-querem inventar maravilhas glorionhas,
depois eles mesmos acabam temendo e crendo.
Parece que todo mundo carece disso." (J.G.Rosa)

DEPENDÊNCIA NATURAL X ESCRAVIDÃO E VÍCIO

  • Dependência natural: é aquela necessária à sobrevivência (no tempo e forma adequada).
  • Quando você adultera a dependência (como exemplo uma proteção excessiva), a dependência se torna escravidão, porque invalida o outro financiando-o a não crescer e ser livre.
  • A melhor maneira de levar a pessoa de uma dependência natural a uma dependência disfuncional (escravidão da alma) é através do MIMO. Quem faz isto é um ilusionista = vou te mimar para ter o direito de comandar sua vida.
  • Nota: o ser humano quando não é mimado, pode se mimar, por medo de crescer e responder pela própria vida.

A RELAÇÃO BEBÊ & BABÁ

  • BEBÊ – O DEPENDENTE é exigente, frágil e privilegiado! Tudo o ofende, magoa. Ele emburra, pirraça, sapateia, engole fôlego, é escandaloso, bebe, usa drogas... E a babá fica paralisada diante do escândalo.
  • BABÁ – O CO-DEPENDENTE é ilusionista. A babá pode ser limitante e/ ou destrutiva (poderoso chefão ou poderosa chefona)
  • O bebê mimado não faz nada e a babá parece que faz tudo. A babá toma muitas decisões e no final não faz nada que valha a pena. É pura ilusão! Ninguém saiu do lugar! Ninguém cresceu! Não aconteceu nada no REAL. É tudo faz-de-conta...

AS RELAÇÕES FAMILIARES MAFIOSAS:

  • Exemplo do filme: O Poderoso Chefão 1 (na relação mafiosa, quem está fora não entra, quem está dentro não sai).
  • O cuidado emocional da família é trocado por CONTROLE.
  • Instituição mafiosa é assim. O mafioso diz: - Se você ficar pequeno e indefeso, eu te protejo, te dou segurança. Mas você não pode sair da máfia jamais, senão ela te mata!
  • Segurança que a máfia dá é em forma de tortura. É destrutiva tanto para o bebê, quanto para a babá.

OS TRÊS TIPOS DE AJUDA:

  1. Limitante – ajuda o outro e se exclui. É muito prestativo, mas limita e infantiliza o outro.
  2. Destrutiva - mafiosa . Tanto destrói o outro quanto se destrói.
  3. Interativa/ compartilhada: em mão dupla. Ajuda e pede ajuda. Faz pelo o outro e faz por si mesmo.

NÃO POSSO TE DAR A LUA. SÓ POSSO APONTAR!

  • INTERAGIR é o oposto de mandar, de cobrar, de controlar.
  • Eu não controlo nada. Mas eu posso interagir.
  • Todas as vezes que me sentir inseguro vou querer controlar.
  • Eu posso viver mandando, controlando ou me submetendo, sendo comandado pelo outro, pela comida, pela droga...
  • A PREPOTÊNCIA É UM DIA DEPOIS DA IMPOTÊNCIA.
  • A VIDA E O REAL NÃO ACEITAM CONTROLE/ DOMINAÇÃO.
  • A VIDA E O REAL ACEITAM NEGOCIAÇÃO/ INTERAÇÃO (EVOLUTIVO).

SOBRE VALOR:

  • Tem a ver com liberdade de escolha e com um pensamento articulado com o REAL.
  • É uma espécie de "controle de qualidade", porque tem noção de conjunto.

AINDA SOBRE O APEGO:

  • Tem a ver com crenças e com escravidão.
  • Criança é muito angustiada e muito apegada, porque está nas mãos do outro. Ainda busca a confirmação do outro.

SOBRE CRENÇA, DESCRENÇA E VALOR

  • CRENÇA: infantil. A criança recebe o valor do outro (família, escola, religião, sociedade) e o recebe como crença, porque não tem ainda a capacidade de fazer julgamento de valor.
  • DESCRENÇA: adolescente. O adolescente questiona as crenças, é do contra, mas ainda não tem valor pessoal
  • VALOR: adulto. O adulto (e não o adulterado) possui valores pessoais, porque faz julgamentos de valor. Respeita as crenças e ou/valores dos outros e cuida daquilo que para ele tem validade.

SOBRE CRENÇAS E CRENÇAS ARRAIGADAS

  • Crença é uma organização primária – bússola mítica. Está em mim, mas não é meu.
  • Para perceber suas crenças arraigadas, veja os ditados familiares.
  • Crença é organizador do coletivo (grupos, instituições, culturas, etc).
  • No individual, a crença sem julgamento de valor se torna crença arraigada (sem esforço, sem construção, sem questionamento, uma cópia apenas). É um falso valor.
  • Crença é funcional no grupo e disfuncional no individual.
** Se você mexer na crença de um grupo, pode destruir este grupo. E se mexer na crença arraigada de alguém que ainda não tem um sinal de INDIVIDUAÇÃO E MATURIDADE, pode até "psicotiza-la" porque tira o "chão" da pessoa (que não construiu valor próprio/ mundo interno).

ATENÇÃO!
CRENÇA NÃO É VALOR!
  • Crença não é algo meu. É emprestado pelo sistema familiar, pelo grupo.
  • É um falso valor ou um valor falseado.
  • É imposto e/ou obrigado.
  • Tem que – diferente de necessidade, de desejo, de querer e de sentido.
  • Não tem escuta, não tem conversa, não tem negociação.

QUEM TEM VIDA INTERIOR E VALOR, NÃO PADECE.
VAI FICAR TRISTE, MAS NÃO VAI PADECER.

ADULTO: é quem tem mundo interno e noção de conjunto.
Tem integrado mundo interno e mundo externo.

  • Mundo interno = sentir e pensar sistemicamente (refletir). Reino dos valores.
  • Mundo externo = pensamento desconectado do sentimento. É viver no "reino" das importâncias (trabalho, dinheiro, posição social, títulos profissionais, titulos de estado civil, titulos da sexualidade...).

ADULTERADO: é quem não tem noção de conjunto e
vive preso no imaginário/imagem (somente mundo externo).

CURIOSAMENTE, QUANTO MAIS VOCÊ DER ERRADO NO REAL,
MAIS VOCÊ ESCAPA PARA O IMAGINÁRIO,
SE "ENDEUZA" E QUER SER "ESPECIAL"!
  • O ADULTERADO tem muletas sofisticadíssimas (drogas, bebidas, doenças, trabalho, dinheiro, amor apegos, dependências e co-dependências em geral).
  • Exemplo: o alcoólatra NEGA que tem consciência do que está acontecendo (e de uma forma ou de outra, toda pessoa tem um nível de consciência). Então ele bebe para PERDER a consciência e o resto do VALOR que tem. Assim, cada vez mais ele fica APEGADO à bebida e distante do Real.

SOBRE VALOR VERDADEIRO:

  • É o que faz SENTIDO; o que dá sentido!
  • Vem de sensibilidade, de sentir (escuta interna e externa).
  • Mas atenção! Se você se apegar a um valor, ele vai se tornar um apego/ uma crença.
  • Valor tem prazo de validade!

SOBRE FALSO VALOR:

  • Apego e crença ainda não é valor. Pode vir a ser, porque é uma primeira noção rudimentar de valor.

VALOR É:

  • Algo muito solitário (sem dependências).Fui eu que escolhi porque quis.
  • Só eu sou responsável pelo aquilo que eu escolho e valorizo.
  • Valor me põe sozinha diante do universo. Certo ou errado é filho meu. Sou eu que escolho o que faz sentido pra mim.
  • Portanto crianças, jovens e adulterados não têm valor. Têm crenças ou modas porque seguem a cabeça dos outros.
  • Precisa-se de tempo e de estar individuado para se ter valor.
  • O APEGADO TEM HORROR A SOLIDÃO, porque ele não gosta de decidir e responder por ele mesmo.
  • CRENÇA DE MULHER é viver no AMOR APEGADO. A liberdade dela fica nas mãos de um homem ou dos filhos. A Menina quando nasce ganha boneca (treino de amor apegado, sem liberdade).
  • HOMEM: valor máximo para homem é LIBERDADE. E o amor fica nas mãos de uma mulher. O menino quando nasce ganha bola ou carrinho (treino de liberdade, mas não vai poder lidar com afetividade).
ALGUMAS REFLEXÕES:
  • QUAL O MODELO DE FUNCIONAMENTO DE SUA FAMÍLIA: ADULTO OU ADULTERADO?
  • Lembre-se que os filhos têm uma LEALDADE FAMILIAR e repetem o padrão familiar.
  • VERIFIQUE OS SEUS ABANDONOS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCENCIA. Como você obtinha atenção?
  • VOCÊ DÁ ATENÇÃO PARA VOCÊ MESMO? Como você faz isto?
  • Lembre-se que ser humano tende a trocar cuidados por mimos. Se não recebe mimos dos outros, acaba por si mimar e se tornar "especial".
  • VOCÊ ACREDITA (CREDITA) EM SI MESMO?
Dalai Lama disse:
"– Vocês são doidos de não gostarem de si mesmos? Lá no Tibet, no mínimo temos que gostar de nós mesmos." (No ocidente educamos na base da crítica).
  • EM QUE SITUAÇÃO VOCÊ PERCEBE QUE PARALISOU?
  • Foi no mesmo ponto que seus pais?
  • A crença mundial nas últimas décadas é baseada no modelo americano de que a gente tem que trabalhar muito para pagar contas e mais contas e ter uma vida quase sem sentido, além de produzir, comprar, vender, comer e dormir. Aí o mundo perdeu os valores éticos, morais e humanitários.
  • COMO ESTA NOVA CRENÇA MUNDIAL ATINGIU VOCÊ E A SUA FAMÍLIA?

MATERIAL-DIDATICO---ATUACAO-DO-TERAPEUTA

Texto elaborado por Jaqueline Cássia de Oliveira
Psicoterapeuta Sistêmica - CRP 04/7521
Fontes:
  • Apostilas e aulas do Curso de Pensamento Sistêmico – Dra. Zélia Nascimento – Belo Horizonte, MG/Brasil
  • Livros , apostilas e entrevistas de Dr. Eduardo Kalina - Buenos Aires – Argentina